No dia 5 de Maio de 1988, nascia em Tottenham (Londres) a cantora mais premiada da atualidade, que com poucos anos de carreira, hoje compete com artistas com mais de uma década de trabalhos, além de estampar a lista dos artistas com menos de 30 anos mais ricos do mundo e ser condecorada em 2013 com o MBE, sigla que significa “Member of the Most Excellent Order of the British Empire”, ou “Membro da Mais Excelente Ordem do Império Britânico” em tradução literal, uma honraria concedida a poucos, comprovando a sua importância na indústria da música. Mãe, fora dos padrões impostos pela indústria do pop, com 3 álbuns, um Oscar, 15 Grammys (das 18 indicações que recebeu). Ela é Adele.

Começar a falar sobre seus trabalhos é lembrar de um início de sucesso, ainda que contido apenas no Reino Unido e alguns outros países, a partir do álbum “19” nascia uma musa para o gênero R&B e o ano de 2008 não passaria despercebido em sua vida. Tão jovem e já criava sua composições. Para dar mais pessoalidade, em cada título colocou a idade que tinha quando compôs a maiora das canções presentes no álbum. “Hometown Glory” foi seu primeiro single, muito bem recebido com sua dor emocional.

Ainda em 2008, escolheu “Chasing Pavements” como single e fez dele o seu maior sucesso do álbum “19”. Muitos saberiam o seu nome agora que tinha alcançado o top 10 de algumas paradas musicais. Uma excelente repercussão em um álbum de estréia pouco apelativo para o que os demais artistas buscavam no momento. Outro destaque é seu cover “Make You Feel My Love”.

Anos depois, ainda com as mesmas concepções era criado a pérola máxima da música. O número impar “21” nunca representou tão bem o século XXI até aquele ano de 2011. O motivo? “Rolling In The Deep”. Mais uma vez, a cantora deu palavras para as lágrimas que derramou e emplacou seu primeiro single em 1º lugar, o que mais surpreende foi o período que ficou no topo. Não havia quem tirasse! Até seu registro ao vivo no The Royal Albert Hall, conseguiu o certificado de disco de diamante (nada menos que um milhão de cópias) ainda na pré-venda.

Agora era mundial! O álbum “21” foi lançado em todos os países no formato físico e digital, já que seu anterior em alguns locais (como no Brasil) ainda não era encontrado nas lojas. O sucesso foi tanto que lançaram o “19” por aqui posteriormente. Adele é a responsável por aumentar a venda de CDs, algo que naturalmente vinha se tornando um meio dispensável. Estava claro que qualquer single faria um grande alarde, e a música “Someone Like You” estava aguardando seu momento.

Em 2012 teve seu primeiro filho, Angelo, sendo que ainda gestante pedia para todos que respeitassem sua privacidade, e de fato ela foi ouvida. Um fato era que ganhar tantos Grammys se tornou corriqueiro, mas ganhar um Oscar em 2013 pela canção original para o filme “007: Skyfall” era mais uma prova de seu poder como compositora e multi-instrumentista. Para cuidar de seu primogênito a artista se afastou dos holofotes e da música, o que gerou uma espera interminável… nós precisávamos de um “Hello”.

Em 2015 o hiato terminava com a chegada de “25”, seu terceiro álbum de inéditas. Talvez o mais feliz, pois retratava uma mãe cheia de amor e que nada poderia mudar isso. Claro que o álbum trouxe elementos dos anteriores, como as canções mais melancólicas e a voz inconfundível que continua viva, mesmo após a cirurgia na garganta realizada em 2011. Por fim, seu segundo vídeo lançado na 58ª edição do Grammy teve uma grande expectativa e não decepcionou. “Send My Love (To Your New Lover)” encantou a todos em sua estréia na premiação!

Seja velho ou seja jovem, sabemos que Adele tem o que nos une: sua voz, seu carisma e sua autenticidade na música. É certo que se ela irá cantar alguma canção nova, é porque será importante para seus fãs, e até pra ela mesma, pois vem do coração. Atualmente está aguardando seu segundo filho, e a prova do contato que tem com os fãs é que ela fez o anúncio em seu último show da turnê que rodou o mundo, num total de mais de 100 shows. Essa é Adele, e queremos lhe desejar os parabéns, para que muito sucesso e felicidade continuem em seu caminho.

Mais um Otaku soteropolitano que faz cosplay no verão. Gamer nostálgico que respira música e que se sente parte do elenco das suas séries favoritas. Aprecia tanto a 7ª arte que faz questão de assistir um filme ruim até o fim. É um desenhista esforçado e um escritor frustrado por ser um leitor tão desnaturado. É graduando no curso de Direito e formado no de Computação Gráfica. “That’s all folks!"