Depois um período conturbado cheio de títulos de qualidade duvidosa,a famosa franquia do ouriço mais famoso dos games ressurge com  gás nostálgico.

O retorno do herói às origens em Sonic Mania é algo notável, o que torna o lançamento deste jogo um dos maiores eventos dos games deste ano. E essa “volta ao lar” é coroada com o que tivemos de melhor dos games do ouriço azul ao longo de seus games 2D da era 16-bit (Sonic 1, 2 e 3, Sonic CD e Sonic & Knuckles). É um presente que a Sega está nos dando em forma de game que diverte, surpreende, encanta e desafia.

O que chama atenção e atrai já de cara em Sonic Mania é o seu visual totalmente retrô. O retorno à era dos 16 Bits é muito benéfico  ao ouriço e é feito de forma excepcional. Mesmo que o visual seja old school, a quantidade de informação, cores e detalhes na tela são muito gratificantes e enchem nossos olhos de informações. Os movimentos estão fluidos e a movimentação agrada bastante.

Como se trata de um jogo em 16 Bits na era do 4K, isso é recompensado com fases bem mais complexas do que aquelas que víamos na época do Mega Drive. É interessante ver também como praticamente não há telas de carregamento, mantendo um ritmo de jogo constante entre as fases e, principalmente, entre os dois atos de uma mesma fase. Ao mesmo tempo, isso exige uma força de vontade muito maior do jogador para pausar o game e ir fazer outras coisas, pois o ritmo é sempre acelerado.

As fases remetem àquela época em que soprávamos o cartucho antes de encaixá-lo no Mega Drive, mas estão mais refinadas visualmente e sem perder suas principais características. A Sega optou por trazer de volta zonas clássicas como a Green Hill, Chemical Plant, Oil Ocean, Flying Battery e outras. No primeiro ato, elas são basicamente o que lembrávamos da época. Já o ato 2 é uma revisão de tudo aquilo, inclusive trazendo um novo arranjo à trilha sonora original — e que bela trilha sonora tem Sonic Mania.

O fato de quase metade das fases existir em outros Sonics da “era de ouro” não faz o game ser repetitivo. Como a Sega recriou elementos de todos os outros títulos do personagem, tudo é novo e há ainda mais o que explorar. Há muitos caminhos a seguir e segredos para encontrar.Eu passei redescobrindo o game em muitas partes!

Na Green Hill, há uma área nova em que, se você pegar uma bolha de fogo, pontes de madeira são queimadas. Em Oil Ocean, o óleo queima com essa bolha. Em determinado momento, Sonic viaja no tempo tal qual em Sonic CD, com direito à mesma animação da época. Em uma das batalhas contra Robotnik, Sonic assume a famosa nave do vilão. Nas fases novas, todos esses elementos são unidos e surgem personagens de jogos menos conhecidos, como os de Knuckles Chaotix. Mas o que mais me surpreendeu nesses elementos foi o looping de areia que se desmancha ao passar.

Outro fator muito elogiado em Sonic Mania é o retorno da opção de escolha entre os três personagens principais da série: Sonic, Tails  e Knuckles. Elemento ausente há muito tempo em jogos da franquia e que os fãs sentiam falta. Aqui, assim como em jogos antigos como Sonic 3 & Knuckles (Mega Drive), é possível jogar com um dos três separadamente ou com a dupla Sonic e Tails  em conjunto.

Para os apaixonados pelo estilo de nível de dificuldade dos jogos mais antigos, Sonic Mania será um prato cheio. O jogo mantém a alta velocidade que é a principal bandeira da franquia desde o seu surgimento, bem como os level designs complexos cheios de passagens alternativas e segredos a serem descobertos.

Entretanto Mania eleva bastante essa dificuldade em alguns pontos, principalmente por introduzir chefes no final de cada ato das fases. Esses chefes, vale a pena ressaltar, esbanjam criatividade e desafios. Nenhum é vencido do mesmo modo e alguns fazem até referência a outros jogos antigos.

Sobre o nível de dificuldade, um ponto negativo é importante de ser assinalado. Algumas decisões de obstáculos de fases acabam sendo punitivos, o que mostra algumas falhas no design delas. Espaços vazios convidativos a serem explorados que levam para a morte, espinhos que impedem o jogador de correr em linha reta e plataformas colocadas em posições estranhas são detalhes que podem passar despercebidos por alguns, mas que podem ser altamente frustrantes dependendo de quem está jogando.

A possibilidade de usar um dos três protagonistas à escolha do jogador dinamiza mais ainda a jogatina. Isso porque as habilidades distintas de cada um dão a eles acesso a partes do cenário impossíveis de se alcançar para os demais. Além de tornar a experiência de jogo variada, isso aumenta mais ainda o fator replay que comentamos ali em cima.

Outro modo excelente é o competitivo para dois jogadores. É um bom jeito de jogar Sonic com um amigo tentando cruzar as fases do game o mais rápido e coletando o maior número de argolas. Você ainda pode criar regras para essa competição. O ponto negativo é que a tela se divide e fica tão esticada que a proporção chega afetar a precisão nos saltos. Mas não deixa de ser divertido.

Sonic Mania é um game incrivelmente nostálgico para os fãs game old school da franquia e faz jus a grandiosidade que ela merece. O ouriço estava precisando de um game assim! Parabéns Sega e mantenham essa pegada nos próximos