Mais uma vez tendo seu território invadido, o Pica-Pau volta a tocar aquele velho terror, tentando impedir que Lance Walters (Timothy Omundson) destrua a floresta em que o pássaro mora para construir uma enorme casa de verão. Mesmo atazanando a vida de Lance e sua namorada, Vanessa (Thaila Ayala), o pássaro acaba se tornando muito amigo de Tommy (Graham Verchere), filho de Lance.

O filme segue o já conhecido plot das histórias do Pica-Pau: ele causando o caos, caçadores de animais querendo se vingar, humanos tentando destruir a floresta e mais caos vindo do pássaro. E é isso. O filme não destoa muito do desenho, porém é mais leve se comparado ao pássaro que estamos acostumados a assistir. A nostalgia bate, mas não vai lá nas alturas.

Houveram aqueles – muitos – que não botaram muita fé no filme do Pica-Pau. O longa é bem Sessão da Tarde, porém o mar de críticas negativas que vêm recebendo antes mesmo de seu lançamento são um pouco exageradas. A verdade é: temos que parar de querer um filme perfeito em todas a frentes. Super ambicioso, reflexivo e genial. O longa do Pica-Pau já estava sendo duramente criticado desde seu trailer e se quem tiver assistido tirar a carapuça roubada de júri do Oscar, vai observar que é o Pica-Pau… Sendo o Pica-Pau.

A animação gráfica era uma das minhas maiores preocupações sobre o segmento desse filme, mas ela realmente não deixa desejar e não fica muito destoante de todo o cenário real do filme. Os atores, por sua vez, exageraram um pouco nas suas expressões e reações. Talvez por tentarem demais transferir o clima do desenho para o live action.

O filme não é espetacular. Assim como não faz jus 100% ao Pica-Pau que conhecemos e adoramos, todavia não merece ser tão esculachado como está sendo. Muito esculacho, inclusive, vindo de quem nem sequer assistiu. É um filme que prega nostalgia aos adultos e diversão para as crianças. Algumas crianças podem ser convencidas e os adultos que procuram uma diversão rasa típica da Sessão da Tarde também.

Pica-Pau: O Filme entrega o que vendeu, nada mais e nada menos. O longa estreia amanhã nos cinemas brasileiros. Por ser um dos países que mais transmitem a animação na TV, o Brasil será o único país a lançar o filme nos cinemas. No resto do mundo ele será lançado apenas como filme para TV e on demand.