Só uma perguntinha sobre Game of Thrones:

Atenção: Este artigo contém Spoilers do 6º episódio da 7ª temporada de Game of Thrones

A sétima temporada da série está chegando ao fim, e eu – que sou fã dos livros e do show há uns bons anos – não sei bem se digo que vai deixar saudade ou se já vai tarde. Sério, gente, o quê é que está havendo com a série?

Pra quem não se lembra, depois da 5ª temporada, GoT se tornou uma série com roteiro original e não é mais baseada nos livros, então a 5ª, 6ª e 7ª temporada não se baseiam em nenhum livro, assim como a 8ª. Talvez essa seja a razão da temporada atual estar bem… Distinta. Na verdade, absurda.

Claro que eu não vou falar do episódio todinho aqui – até porque é praticamente uma hora de exibição –, mas se tem algo que ele foi, foi bem decepcionante.

(Fugindo antes que vocês me matem)

Por isso, eu trouxe aqui os sete maiores absurdos do sexto episódio da sétima temporada de Game of Thrones:

1 – Como é que os personagens conseguiram manipular o tempo?

A única explicação

Deixa eu te contar uma coisa: Pela continuidade do episódio, toda aquela confusão aconteceu em mais ou menos 24 horas. Exatamente. Não dá pra dessalgar direito um bacalhau em 24 horas, e eles conseguiram: Lutar contra os Wights, matar um dos White Walkers, amarrar lá o morto vivo, mandar o Gendry de volta e dar tempo de ele chegar ao posto da muralha – que alguns estimam estar a 150 quilômetros de distância por conta de uma das falas de um dos personagens no começo do episódio –, enviar o corvo e ter a Daenerys no norte em apenas um dia.

Alguns fãs calcularam que a distância entre Pedra do Dragão e posto é de 2.4 mil quilômetros, que é maior que a distância entre as cidades de Salvador e São Paulo (Que é de aproximadamente 2.025 km). Pra se deslocar de uma dessas cidades para a outra, você levaria mais ou menos vinte dias andando, e 25 horas de carro.

“Mas Beca, é corvo.” Você, hater, diria.

No caso, um corvo consegue atingir a velocidade máxima de 50 km/h, o que dá praticamente dois dias de viagem só do corvo. Se fosse dragão eu até aceitava.

Mas vamos lá que tem mais.

2 – Jonerys

O romance entre Jon Snow e Daenerys é provavelmente um dos piores construídos que eu já vi – e eu já vi muitos romances em séries que não fazem o menor sentido.

Não é pelos personagens em si ou que eu queira dar hate no ship alheio, mas o roteiro dobrou ambos os personagens o máximo possível para dar sentido ao casal que, na minha humilde opinião, tem pouquíssima química.

3 – Porque o Thoros morreu?

Okay, okay, ele tinha de cumprir o que o deus da luz queria e blá blá blá, mas existe um ponto que pareceu ser esquecido: Ele morreu de hipotermia, enquanto Beric Dondarrion tinha uma espada de fogo.

De fogo, gente.

Ela emana calor.

Não preciso dizer mais nada, né? Que bom.

4 – Deus Ex Machina

Levanta a mão quem sabe o que é um “Deus Ex Machina”… Não? Pera que eu explico.

Pois bem, é uma solução – ou um personagem – que surge do nada num enredo só pra salvar o dia. Literalmente, é um personagem/coisa que não estava presente e desce do céu pra resolver os problemas. Obviamente, esse é o Benjen. Não estava lá em lugar nenhum, nem sabia do que estava acontecendo, apareceu do nada, se sacrificou e salvou o dia. Pronto. Acabou, foi isso. Ele surgiu de um buraco, salvou o Jon e ficou lá pra morrer.

‘cabou.

5 – De onde é que saíram as correntes que puxaram o dragão de debaixo do gelo?

Tá bom que eu tenho duas coisas pra reclamas da treta entre os dragões – além do que eu já reclamei no começo do artigo –, mas eu vou deixar pra lá o fato de que o Rei da Noite podia muito bem atacar o Drogon, que estava mais perto ao invés do dragão voando, e focar num pontinho que faz menos sentindo ainda: De onde eles tiraram as correntes pra catar o dragão de dentro da água?

Pior ainda, como foi que eles conseguiram descer até o fundo do rio/mar/lago (?) pra puxar o dragão? Enfim, muitas perguntas pra nenhuma resposta.

Você acha que eu deixei algum absurdo importante de fora? Não se esqueça de deixar sua opinião e vamos torcer juntos para que o último episódio seja menos absurdo.