Jay Asher, escritor de livros juvenis principalmente conhecido por seu romance de estreia Os Treze Porquês, foi expulso da Sociedade de Escritores e Ilustradores de Livros Infantis (SCBWI, na sigla em inglês) após uma série de acusações de assédio. A expulsão aconteceu no ano passado, mas apenas agora chegou às manchetes.

A diretora executiva da associação, Lin Oliver, escreveu em um email para a agência Associated Press que “tanto Jay Asher quanto David Diaz [ilustrador também expulso] violaram o código de conduta da SCBWI em relação à assédio. As acusações contra eles foram investigadas e, como resultado, eles não são mais membros e nem comparecerão em qualquer evento da associação no futuro”.

Resultado de imagem para jay asherJay Asher, autor do livro Os Treze Porquês, adaptador pela Netflix na série Thirteen Reasons Why

O autor se manisfestou em entrevista à BuzzFeed News, e afirmou que sua saída da SCBWI foi voluntária. Além disso, confessou se sentir traído, uma vez que a associação o havia dito que “os emails [acusatórios] não significavam nada”.

O caso chegou às manchetes devido a uma série de comentários em um artigo no site literário School Library Journal, principalmente a partir do dia 10 de fevereiro. O artigo e os comentários dos leitores exploravam casos de assédio sexual na indústria de livros infantis, e os nomes de diversos autores e ilustradores foram apontados – entre eles, o de David Diaz, de Jay Asher. Nomes como o de Lin Oliver foram apontados como pessoas que “passaram a mão” sobre os casos.

(Montagem do Cinesia Geek)
Eu acho bizarro e horripilante que ninguém nomeou Jay Asher“, começa o primeiro comentário. “Eles querem saber ‘quem’. Eu direi o nome da minha história: Jay Asher. Felizes?“, pergunta o segundo.
Eu ouvi falar sobre Jay Asher ainda em 2005. É tão falado, o agente dele TEM que saber. (…) É impossível que os organizadores da SCBWI não sabiam do seu comportamento também“, comenta outro anônimo. “Ele foi banido da SCBWI. Eles sabem. A questão é quando sabiam e quando agiram“, responde outro comentário.

 

No site da Sociedade de Escritores e Ilustradores de Livros Infantis, a associação afirma que assédio pode incluir “comentários verbais ofensivos relacionados a gênero, identidade e expressão de gênero, orientação sexual, deficiências, aparência física, tamanho corporal, raça ou religião, intimidação deliberada, perseguição, fotografias ou gravações assediantes, disrupção de falas ou outros eventos, contato físico inapropriado e atenção sexual indesejada”. E completa: “reservamos o direito de requisitar a qualquer um que não cumpra o que está acima para sair de qualquer evento ou de bani-lo de eventos futuros”.

Ainda não foi divulgado se haverá investigação policial sobre o caso.